Pesquisar

segunda-feira, 25 de julho de 2016

248 - A Serra da Estrela

Em finais de Setembro passado, fiz com amigos uma pequena viagem pela Serra. Chegamos tarde a Seia e foi só largar as malas no Hotel e sair para comer alguma coisa. Restaurantes fechados mas temos de agradecer a alguns habitantes as informações e até a disponibilidade para nos acompanhar. Acabamos por encontrar aberto um pequeno bar onde amavelmente nos serviram. As moelas estavam um pouco duras mas apetitosas. O queijo era razoável, o pão muito saboroso e já não me lembro que mais comemos.

Novo dia e um excelente pequeno almoço preparou-nos para a viagem. Que não podia ser longa nem a possível para visitar todos os pontos belíssimos da Serra.
Saímos de Seia no sentido da Torre. À medida que subimos, os infinitos que o olhar abrange obrigam-nos a parar para tentar guardar recordações com um clique.
 
No cimo de um pequeno outeiro encontramos esta singela capela, uma árvore e mesa com bancos. Logo abaixo, meia dúzia de casas com muito bom aspecto.

 Encontramos neste deserto terrenos vedados o que achamos curioso.

Em cada curva deparam-se-nos recortes curiosos e vales com água. Infelizmente não podemos apreciar os pormenores.

 Em Loriga paragem para tomar um café e apreciar belos Serra da Estrela num canil junto à estrada.

Um olhar para trás


Creio que é a Lagoa Comprida, vista de um dos lados já a caminho da Torre. E uma imagem com exactamente 44 anos.

100 metros atrás em relação ao momento em que a foto foi feita, a paisagem com os pormenores deste desfiladeiro e a montanha em fundo são uma coisa assombrosa de linda. Mas a estrada tem muitas curvas e é perigoso estacionar.

O Cume no Planalto Central a cerca de 2 mil metros de altitude.

Descendo no sentido de Manteigas encontram-se relevos extraordinários. O Cântaro Magro a 1928 metros de altitude situa-se na cabeceira do Vale Glaciar do Rio Zêzere e do sopé (no Covão d'Ametade que se recomenda percorrer) até ao cume tem um desnível vertical de cerca de 500 metros.
Afloramentos graníticos com idade entre 340 a 280 milhões de anos encontram-se por toda a serra. Neste local, a quantidade, as dimensões e figuras gravadas na pedra pela natureza ao longo dos milénios não nos deixam indiferentes.

No Planalto Superior, até onde a vista alcança.

Não podemos deixar de observar o que nos rodeia. No Covão do Boi o monumento a Nossa Senhora da Boa Estrela, padroeira dos Pastores.

Do outro lado da estrada, um fio de água escorre por entre as rochas.

Itinerários para caminhantes.

 Nave de Santo António no sentido Torre-Manteigas
Antigo Parque de Campismo. Imagem obtida no sentido Covilhã-Torre.

No sentido de Manteigas, o Vale Glaciar do Rio Zêzere.
Pastorícia em fins de Setembro
Não sei localizar este lugar a poucos quilómetros de Manteigas. As belezas dos pormenores, das paisagens e das cores são tantas que nos perdemos.
Desconheço qual o curso de água que passa sob a ponte que temos de atravessar para chegar a Manteigas...
... que se vê ao fundo.

Igreja Matriz de Manteigas
De construção inicial no séc. XIV, sofreu vários restauros o último em 1935.

Itinerários

Será um abrigo de pastores mesmo junto à estrada ?

Duas imagens de Manteigas obtidas no mesmo local sensivelmente e separadas rigorosamente por 
44 anos.

Estamos no concelho de Gouveia e o Mondeguinho, nascente do Rio Mondego a 1425 metros de altitude gaba-se de ver surgir num fio de água o maior rio Português que até à sua foz na Figueira da Foz percorrerá 234 quilómetros. Na imagem antiga, o garrafão na bacia já lá estava quando cheguei para tomar um copo de água. Desse tempo acho que o que resta é a rocha onde antigamente assentava a placa e lixo. Para trás era monte.

Afloramentos rochosos graníticos em outros pontos da Serra.

A Cabeça do Velho já teve neste período do ano (Julho) neves eternas ? Na base da rocha e até à estrada é neve.
O fogo que um mês antes (Agosto) percorreu a Serra deixou ainda algumas marcas escuras mas o verde para o pasto (?) já estava a brotar.

Mais abaixo e do outro lado da encosta, pequenos rebanhos de lanígeros deixam-se fotografar.
Bem como o pastor e o seu companheiro

Última imagem do dia na Serra da Estrela.

Algumas casas estão espalhadas pela Serra oferecendo deliciosos produtos gastronómicos locais, a par de artesanato fabricado nos mais variados materiais.

Nestes materiais não acredito minimamente que sejam regionais. São made.in.China e no Porto estão à venda exactamente ao mesmo preço.

A Serra da Estrela não são só paisagens. Vá descobrir o que o Parque Natural, os Concelhos, a História, a Gastronomia pode oferecer.

7 comentários:

  1. Lindas paisagens. E, muito interessante a pedra em formato de cabeça. Coisas da natureza.

    ResponderEliminar
  2. Bom amigo Jorge, gostei de ver as tuas fotos estão muito bem legendadas, um abraço.

    ResponderEliminar
  3. Do meu amigo e camarada Luíz Grijóa, recebi este email
    Estimado amigo e querido camarada artilheiro. voltaste ao trabalho do qual gostas, sinal que melhorastes e estás bem
    Fiquei contente. Por sinal, lindo trabalho.
    Uma vez, passeando na Serra da Estrela com a minha filha, ela cismou de querer comprar um filhote do cão pastor serrano.Tive um trabalhão para a fazer desistir de praticar essa besteira, O filhote cresce muito, imagine morar num apartamento com um bicho que fica daquele tamanho...
    Com amizade, o abraço fraterno do
    Luiz Grijó

    ResponderEliminar
  4. Portugal é rico em natureza, gastronomia, paisagens lindas como estas. Enfim.......lindíssimo trabalho. Com amizade e carinho tua amiga São .......

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  6. Lindas fotos devidamente comentadas. Obrigado Jorge.

    ResponderEliminar