Pesquisar

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

177 - Casa Museu de Guerra Junqueiro

A Casa Museu de Guerra Junqueiro está localizada no antiquíssimo núcleo urbano da Cidade do Porto, onde foram descobertos vestígios de ocupação que remontam até à Idade do Ferro. 
Como já anteriormente referi em pormenor este local, aos amigos interessados deixo o link para visualização da página: http://portojofotos.blogspot.pt/2010/07/26-um-porto-escondido-iv.html#links

O edifício está localizado na Rua de D. Hugo, que já se chamou Rua de Trás da Sé e Rua dos Cónegos. Envolve todo o núcleo episcopal e acolheu em tempos as residências das mais importantes individualidades da diocese.

Um desses edifícios, alberga actualmente a Casa Museu. Na foto, do lado esquerdo. No lado direito o edifício que acolhe a Fundação Maria Isabel Guerra Junqueiro e Luís Pinto Mesquita de Carvalho cuja visita será para outro dia. Ambos os edifícios guardam as colecções ou uma grande parte delas que o Poeta Guerra Junqueiro foi adquirindo ao longo da vida.
Antiga casa nobre mandada construir pelo cónego da Sé do Porto doutor Domingos Barbosa entre 1730 e 1746. A concepção do edifício foi atribuída a Nicolau Nasoni, mas parece que se desconhece o autor verdadeiro.
Encosta-se ao claustro gótico da Sé do Porto, construído em 1385. Faz fronteira com a cabeceira da Catedral, ampliada na primeira década do séc. XVII.
No jardim, uma escultura em bronze de 1970 memorizando o Poeta, da autoria de Mestre Leopoldo de Almeida. (Lisboa, 18.Outubro.1898-28.Abril.1975)

Em 1911 funcionava a Escola Primária Masculina nº. 63 com cinco salas de aula, uma biblioteca pública, uma cantina, gabinete e residência do Director e Família. A casa mantinha-se na posse dos herdeiros do fundador e em 1934 Maria Isabel Guerra Junqueiro (1880-1974), filha do Poeta e viúva de Luís Pinto de Mesquita Carvalho (1868-1931) comprou-a aos sobrinhos do marido para aqui reunir as colecções do Pai. Em 1940 doou-a à Câmara Municipal por escritura lavrada a 25 de Março.
Em 19 de Junho de 1942 é inaugurada a Casa-Museu, sofrendo obras de restauro entre 1975 e 1981.

 Em 1977 o edifício é classificado como Imóvel de Interesse Público  Em 1988 foi declarado em estado de ruína. De 1992 a 97 esteve encerrado ao público. sofrendo obras de restauro, remodelação e ampliação com projecto de Alcino Soutinho, (Gaia, 1930, falecido em 24 de Novembro de 2013). 
Abílio Manuel Guerra Junqueiro coleccionou um importante espólio artístico e arqueológico que sua filha doou à Câmara do Porto. A colecção de escultura antiga e parte da colecção da arte do metal constituem um depósito do Museu Nacional de Arte Antiga, de Lisboa. Tinham sido legadas por testamento em 1921 de Guerra Junqueiro.
Não se possuem registos das aquisições. Portanto, não se sabe onde, quando e a quem as comprou e por quanto.     

Notável a Colecção de Mobiliário composta de móveis nacionais e estrangeiros, sobretudo dos séculos XVII e XVIII.
De entre os móveis portugueses, destacam-se cadeiras e bancos de sola e pregaria de latão, cómodas, canapés, contador, estilos D. João V e D. José.Mesas pé de galo, armários em talha, bufetes.

O núcleo de móveis de origem europeia de grande qualidade é composta por armários e mesas de cancela holandeses, contadores hispano-árabes, mesas Filipinas, cadeiras espanholas, arcas italianas, contadores franceses.

 Tapeçarias que ilustram um tema bíblico do Antigo Testamento "A História de Eliseu", fabricadas em Bruxelas no séc. XVI.
A Colecção de Têxteis compõem-se de colchas e tapeçarias dos séculos XVI, XVII e XVIII. XVI.
Pormenores de algumas peças
Colchas indo-portuguesas em seda, em seda e linho do séc. XVII, produção da Índia; Tapete de Arraiolos em linho e lã do séc. XVII.

Colecção de Faiança Portuguesa do séc. XVII a meados do séc. XVIII. Composta por exemplares de excelente qualidade, peças raras e muito significativas que ilustram as tipologias das várias famílias decorativas utilizadas na época.
Realce para um conjunto de mangas de botica, do primeiro quartel do séc. XVII.

A Colecção de Cerâmica Hispano-Árabe é um conjunto de quarenta e cinco peças de origens, formas e ornamentações muito diversas. A sua cronologia varia entre os séculos XV e XVIII.

A colecção de Cerâmica Oriental, de porcelana e grés, são do tipo fabricado no Extremo Oriente de exportação para a Europa, desde meados do séc. XVI até ao séc. XIX.
Escultura e Arte Sacra
Apresenta importantes peças portuguesas do século XIV ao XVII e também alabastros na sua maioria da escola inglesa dos séc. XV e XVI.

Imagens de Malines (Flandres) dos mesmos séculos; fragmentos de retábulo e painéis em relevo dos Países-Baixos do Sul, séculos XVI e XVII.
 

Cristos e Virgens em marfim indo-português dos séculos XVI e XVII; Virgem na cadeira, escultura policromada, produção da Península Ibérica do séc. XIV; Edícula em calcário do Altar da Sé de Braga de 1510.
Um grupo importante de figuras de santos, profetas, dos séculos XVI e XVII, de origem portuguesa e estrangeiras.
A Colecção de Metal, pode ser apreciada em algumas das salas da casa, mas especialmente na Sala Catedral e é composta por um importante núcleo de 53 pratos e bacias de folha de latão batida e gravada a punção, dos séculos XV e XVI. São conhecidos como Pratos de Nuremberg.


Colecção de Ourivesaria
A Sala do Ourives. A Cidade do Porto tem uma forte tradição desta arte.

Banca do Ourives, molde e alguns punções e martelos.
A colecção consta de 89 peças de prata de ourivesaria civil e 2 de ourivesaria religiosa, abrangendo o período entre os séculos XV e XIX. 
Destaque para uma salva "prato de água às mãos" parcialmente dourada, datada do séc. XV, do Porto. Decorada com alcachofras, folhas de cardo e fitas ondulantes, fortemente repuxadas.
Outras peças



Com excepção de três peças de origem inglesa, as restantes são de fabrico português.

O Poeta Guerra Junqueiro

Algumas fotos podem coincidir com os textos que são mais informativos do acervo da Casa-Museu do que de legendas.
Visualisar a página http://balcaovirtual.cm-porto.pt/PT/cultura/museus/casamuseuguerrajunqueiro/


O acolhimento é muito simpático, tive direito a visitas guiadas e a fotografar - sem flash, claro - . Um agradecimento especial à Senhora Doutora Eva Maria Oliveira Gomes, que nunca mais se esqueceu de mim pois envia-me com regularidade toda a actividade da Casa.

Como escrevi no início, as colecções da Casa-Museu são completadas por outras que podem e devem ser vistas na Fundação, no edifício em frente.

Todas as fotos foram reintroduzidas em 24.10.2016, pois pura e simplesmente desapareceram do blogue pouco depois de ser publicado.


12 comentários:

  1. Mais uma linda reportagem.Obrigado caro amigo,continua.......

    ResponderEliminar
  2. Excelente trabalho
    Muito obrigada
    MM

    ResponderEliminar
  3. Adorei ver a Casa-museu de Guerra Junqueiro. Maravilhoso trabalho!
    Lucília

    ResponderEliminar
  4. Jorge

    Gostei desta visita guiada ao MUSEU
    Qualquer dia irei visitá-lo pessoalmente
    Tenho a colecção completa dos livros de Guerra Junqueiro
    Um abraço
    Carlos Silva

    ResponderEliminar
  5. Adorei a visita ao Museu.
    Parabéns pelo trabalho e pelas explicações.
    Glorinha Moura

    ResponderEliminar
  6. Excelente visita guiada; parabéns pelo(s) trabalho(s) e obrigado, Jorge. Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Saudações Portuenses para um grande MESTRE DA VIDA!
    Até sempre.
    Saudações Culturais
    Descrição: logo CMP
    Eva Gomes

    ResponderEliminar
  8. Não tive o previlêgio de conhecer este museu pessoalmente, mas agora através desta visita guiada que me propocionaste, estou a ver tantas maravilhas que lá existem.Muito obrigada mais uma vez pelo teu desempenho e dedicação.Tú é digno de toda reverência por tanto amor ao teu Porto e pelas oportunidades que ofereces às pessoas em conhecer tua linda cidade, Um abraço Jorge.....

    ResponderEliminar
  9. Obrigado, caro amigo, por mais este trabalho. Felizmente que te temos para nos enriqueceres com tanto conhecimento.
    Grande abraço
    José Ferreira

    ResponderEliminar
  10. Mais um vez agraciados com tamanha riqueza de conhecer, beber desta fonte de cultura que o senhor Jorge Portojo nos proporciona é um prazer, agradeço por ser do Porto e amar muito essa terra em que nasci, muito obrigada amigo mais um belíssimo trabalho.

    ResponderEliminar
  11. A Casa Museu de Junqueiro tem um rico conjunto de obras que encanta. Através de suas fotos belíssimas, tive a oportunidade de apreciar todo o acervo e fiquei deslumbrada. Obrigada amigo Jorge por nos presentear com mais uma magnífica reportagem. Um abraço.

    ResponderEliminar
  12. Obrigado Amigo Portojo. Maravilhoso trabalho! Gostei imenso!
    O meu abraço,
    Manuel Tomaz

    ResponderEliminar