Pesquisar

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

174 - Irene Vilar

A Igreja dos Grilos, como os Portuenses lhe chamam, mas de seu nome verdadeiro Igreja de S. Lourenço, logo abaixo da Sé, infelizmente mal conhecida, faz parte obrigatória dos meus roteiros e que apresento aos amigos visitantes. 
Encerra à segunda-feira, pois também tem a sua época de Inverno. O mesmo vai acontecer a outras Igrejas, incluindo a Sé. 

Deveria ter dado a conhecer há mais tempo a Exposição de Arte Religiosa de Irene Vilar, numa das Salas do belíssimo Museu de Arte Sacra, anexo à Igreja. Mas também não sei se a Exposição é permanente pois li que a obra da artista doada à Fundação SPES, está confiada ao Seminário Maior do Porto. Esta sala, ainda segundo a minha leitura foi inaugurada a 14 de Maio de 2011, mas só este ano a vi. Pormenores em http://realfamiliaportuguesa.blogspot.pt/2011/05/sar-dom-duarte-de-braganca-esteve.html

Irene Vilar nasceu em Matosinhos a 11 de Dezembro de 1930 e faleceu no Porto em 12 de Maio de 2008. Desde os 19 anos que viveu próximo da Foz do Douro na Rua onde chegou a ter dois atelieres.
Este é o seu currículo exposto na Sala. Foi professora de Desenho e Artes Visuais nas Escolas Gomes Teixeira - talvez a tenha conhecido, quem sabe - Aurélia de Sousa e Clara de Resende onde terminou a sua carreira de docente em 1987.     






bla

As obras acima estão expostas no Museu de Arte Sacra.
Uma das fases da vida da escultora foram trabalhos em madeira.
Na minha opinião, este Cristo está mal colocado. De costas para uma janela, o contra-luz não nos permite distinguir os pormenores extraordinários da escultura.

No meu arquivo descobri imagens de obras da artista que fui captando ao longo dos anos. 
 Busto de Camões, na Foz do Douro.

 Artilheiro, no antigo RAP em Vila Nova de Gaia. Homenagem aos Combatentes do Ultramar.

Garcia da Orta, próximo da Avenida da Boavista, Fonte da Moura, Porto


D. Fernando, O Belo ou Formoso (o tal que terminou as Muralhas Fernandinas no séc. XIV) e D. Leonor. Em frente do Mosteiro de Leça do Bailio (tomou o nome de Balio em 1999), Matosinhos.


 O Universo, no Jardim dos Serviços Municipais das Águas, no Porto

 A escultora trabalhando no Mensageiro.
Foto recolhida na internet
O Mensageio ou O Anjo, conforme os Portuenses lhe chamam. Entre a Cantareira e o Jardim do Calém.

A biografia de Irene Vilar pode ser lida em http://sigarra.up.pt/up/pt/web_base.gera_pagina?P_pagina=1000733
E as suas obras estão referenciadas (muito mal) em http://sigarra.up.pt/up/pt/WEB_BASE.GERA_PAGINA?P_pagina=1000729

7 comentários:

  1. AMIGO JORGE TEIXEIRA

    FELIZMENTE QUE HÁ PESSOAS COMO O MEU AMIGO QUE SE INTERESSAM POR ARTE E CULTURA E SE DÁ AO TRABALHO DE DAR A CONHECER ESSAS OBRAS DE ARTE

    NÃO CONHECIA A ARTISTA NEM A SUA OBRA MAS GOSTEI DO QUE O MEU AMIGO APRESENTOU . PARABENS E OBRIGADO

    VALENTE LOPES (V L)

    NOTA : ESTES F.....P...... SÓ SE INTERESSAM EM ROUBAR OS NECESSITADOS E ESTÃO-SE BORRIFANDO PARA A CULTURA NACIONAL, POIS COM A PROSÁPIA QUE LHE CONECEMOS ..... AMANHÃ VEEM DIZER QUE FORAM AO LOUVRE E SÃO MUITO
    CONHECEDORES DE ARTE

    ResponderEliminar
  2. Gostei de saber sobre esta escultora que não conhecia..
    Realmente fiquei encantada com tudo o que vi ..
    Também gostei de ler a biografia dela

    Obrigada

    MM

    ResponderEliminar
  3. Jorge, Amigo

    Meritório o teu trabalho de divulgação, mais valorizado pela "ausência" de iniciativa informativa (que não fica assim tão onerosa) das autoridades que devem (Deviam!) superintender a Cultura.

    Belas Obras.


    Abraços
    SOL

    ResponderEliminar
  4. Fiquei a conhecer um pouco mais essa bela cidade do Porto.
    É sempre bom que haja alguém que dê a conhecer ao mundo um pouco da arte e da cultura da "nossa terra".
    Um abraço cá do Algarve: http://umraiodeluzefezseluz.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. O Dr. Rui Rio é totalmente alheio à desconstrução da Avenida dos Aliados !
    Ainda salvou a Praça de Carlos Alberto, não sabia ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabia de Carlos Alberto. Mas uma coisa sei, se R.R. não teve nada a ver com a Avenida dos Aliados, porque não se impôs já que era o Maior representante da Cidade ?

      Eliminar